Projeto de extensão tem literatura feminista como ferramenta de reflexão e mudança na sociedade

Projeto de extensão tem literatura feminista como ferramenta de reflexão e mudança na sociedade
15 de setembro de 2021

A importância da leitura é indiscutível quando o assunto em pauta é conhecimento. Afinal, mesmo com o surgimento de tantas novidades tecnológicas a cada dia, os livros continuam sendo uma ferramenta essencial para o processo de aprendizagem, formação e construção da sociedade. Pautado por essa perspectiva, o “Esperançar”, um projeto de extensão da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) que integra estudantes do curso de Direito e Jornalismo da Instituição, busca desenvolver a reflexão e incentivar o pensamento crítico, por meio de obras literárias que colaboram na construção de uma cidadania consciente e que contribua para a igualdade de gênero.

O projeto carrega esse nome em homenagem à Esperança García, mulher negra e escravizada. Ela escreveu uma carta ao governador do Piauí, em 1770, que a fez ser reconhecida em 2017 como a primeira mulher advogada do Estado. Para o coordenador do “Esperançar” e professor do curso de Direito da UEPB, Glauber Salomão, o projeto tem a iniciativa de criar uma ponte entre a academia e a sociedade, especialmente com relação às teorias feministas e de gênero, encurtando a distância, ocupando determinados espaços e principalmente, trabalhando na forma de palestras, seminários, cursos e obras feministas com intuito de levar esse conhecimento adiante.

Com reuniões quinzenais, os encontros acontecem via Google Meet, as discussões acontecem sobre um tema pré-escolhido. Para a integrante do projeto e estudante do 7º período de Direito, Allana Lopes, os debates no formato remoto estão sendo muito proveitosos. “Uma coisa que eu percebi que foi muito frutífera, apesar de todo momento que nós estamos vivendo, foi isso de levar para o on-line, porque nós conseguimos alcançar um público diverso. O projeto que começou lá no início do ano, em janeiro, hoje, em setembro de 2021, já não é mais o mesmo, porque cada participante que a gente recebe, traz uma história que vai se tornar parte do que o ‘Esperançar’ é’’, avalia.

Além dos debates, o grupo também já realizou um webinário com o objetivo de arrecadar doações para o Instituto da Mulher da Paraíba, que é uma rede de apoio e proteção às mulheres. A ONG tem um projeto social voltado ao combate da pobreza menstrual e o valor arrecadado foi repassado ao Instituto, que realizou a compra de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade social.

De acordo com o coordenador Glauber Salomão, o conhecimento através da literatura feminista tem a importância de unir pessoas que estarão sempre se apoiando e relembrando as lutas que vieram antes de nós, para que essas discussões alcancem cada vez mais um número maior de pessoas. Os interessados em contribuir com o “Esperançar” podem entrar em contato por meio do perfil do Esperançar nas mídias sociais (@esperancar.uepb).

Texto: Ana Inês Costa (Estagiária)
Fotos: Reprodução Sala Virtual