UEPB sedia Olimpíada Paraibana de Química e números de inscritos e premiados superam expectativas

UEPB sedia Olimpíada Paraibana de Química e números de inscritos e premiados superam expectativas
28 de julho de 2021

Pelo décimo primeiro ano seguido a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), por meio do projeto de Extensão do Departamento de Química, realizou mais uma edição da Olimpíada Paraibana de Química (OPBQ). Desenvolvido desde 2010, o projeto tem cada vez mais recebido adesão de alunos da escola pública, o que se traduziu na edição deste ano. Ao todo, 44 estudantes da Rede Estadual de Ensino foram premiados, sendo 11 com medalhas de ouro, 13 com medalhas de prata, 20 com medalhas de bronze e 35 estudantes receberam menção honrosa.
Segundo o professor Francisco Dantas, do Centro de Ciências e Tecnologia (CCT) da UEPB e coordenador da Olimpíada, este ano o evento contou com a participação de mais de 15 mil alunos de 123 escolas, distribuídas em 117 dos 223 municípios paraibanos. Ele ainda destacou o nível da competição e dos estudantes envolvidos nas provas que, por conta da pandemia, aconteceram de forma remota. Satisfeito com o resultado, o docente observou que a cada dia tem percebido o crescimento e a aceitação do projeto por parte dos estudantes, professores e diretores de escolas públicas e particulares da Paraíba.
Professor Dantas enfatizou que a OPBQ vem cada vez mais investindo na motivação de estudantes, professores e licenciandos do curso de Química, aproximando do processo de ensino aprendizado e despertando nos envolvidos a vontade de contribuir na participação dos estudantes da Rede Pública no evento. “Esse projeto foi idealizado desde 2010 para buscar alternativas para tornar a disciplina de Química mais atrativa para os alunos do Ensino Fundamental e Médio, em especial de escolas públicas, incentivando o gosto pelo estudo”, destacou.
Ele observou que a olimpíada não deve ser encarada apenas como uma mera competição entregadora de medalhas, mas como uma atividade que visa ser uma fonte de inspiração para os jovens seguirem a carreira científica movidos pelo espírito crítico e criativo. “Esse projeto busca descobrir talentos para o ensino de Química e para a indústria, principalmente em escolas públicas da Paraíba”, acrescentou.
O professor Dantas também destacou o esforço da Secretaria de Educação do Estado da Paraíba que criou todas as condições para incentivar a participação das 14 Regionais de Ensino. Graças a esse empenho, mais uma vez a OPBQ conseguiu atingir estudantes das últimas séries do Ensino Fundamental e as séries do Ensino Médio de todo o Estado. A olimpíada tem como um dos principais objetivos estimular o ensino, o estudo e a pesquisa no campo da Química, além de promover atividades que levem os jovens estudantes a refletir sobre a importância da Química em suas vidas.
Este ano, as provas aconteceram no mês de março em formato digital, em duas modalidades, com 30 questões de múltipla escolha, organizadas em níveis de acordo com a série dos alunos participantes: modalidade A, com estudantes do 9° ano do Ensino Fundamental; e modalidade B, para os alunos da 1ª 2ª e 3ª série do Ensino Médio. A OPBQ é uma atividade de extensão do Departamento de Química da UEPB que faz parte do Programa Nacional Olimpíadas de Química, promovido pela Associação Brasileira de Química (ABQ) e pelo Grupo de Pesquisa em Metodologia para a Educação Química (GPMEQ).
Os estudantes classificados na Olimpíada Paraibanas de Química conquistaram o direito de disputar as Olimpíadas Norte e Nordeste de Química que acontecem no dia 9 de outubro, e também as Olimpíadas Brasileiras, previstas para 25 de setembro. O professor Dantas ressaltou que a Paraíba sempre tem tido um excelente desempenho nas Olimpíadas Nacional, conquistando várias medalhas. “Esses alunos se destacando nessas olimpíadas poderão representar o Brasil nas Olimpíadas Internacional” observou.
Texto: Severino Lopes
Foto: Codecom/Arquivo