Museu de Arte Popular recebe lançamento do livro “Parahyba 1930 : a verdade omitida”, de autoria de Fuba

Museu de Arte Popular recebe lançamento do livro “Parahyba 1930 : a verdade omitida”, de autoria de Fuba
9 de maio de 2022


Nesta terça-feira (10), às 18h30, o Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP) da Universidade Estadual da Paraíba (MAPP), em Campina Grande, receberá o lançamento do livro Parahyba 1930: a verdade omitida”, de autoria de Flávio Eduardo Maroja Ribeiro, conhecido como Fuba. A obra pretende trazer à luz a real história da Paraíba, bem como seus reflexos na denominada “Revolução de 1930”. A entrada é franca.
Resultado de um intenso trabalho de pesquisa, o livro perfaz um recorte varrendo as décadas de 1920 e 1930, sendo que no cerne desse ensaio histórico está o assombroso torvelinho de eventos envolvendo o presidente João Pessoa, e que culminou em um movimento político nacional. Para isso, o autor se debruçou em diversos acervos, investigando correspondências, jornais, e garimpando, ainda, uma série de excertos de vários estudiosos que discorreram a respeito do tema.
A primeira edição data de 2018 – o livro fez tanto sucesso, que rapidamente se esgotou nas livrarias e até mesmo em sebos. Por isso, Fuba decidiu por essa nova edição, segundo acrescentou. O assunto, de fato, parece estar mergulhado em tantos ruídos e detalhes de bastidores que se tornou alvo de grande interesse em todo o Brasil. E, segundo revela na apresentação da obra, o filósofo e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Antônio Serafim Rego Filho, o leitor pode esperar surpresas a cada página, posto que constatará que “aquilo que realmente aconteceu foi edulcorado por uma historiografia liberal, tendenciosa”.
É bem provável, conforme assinala o professor, que, chegando ao último parágrafo do livro, quem o ler venha a mudar a sua opinião acerca daquele momento histórico, tal a quantidade de dados documentais reunidos. Antônio Serafim destaca, além disso, pontos altos da trama, percorridos com maestria pelo livro, a exemplo da correspondência trocada na oportunidade entre Epitácio Pessoa e o seu sobrinho João Pessoa, e a carta do funcionário público Simão Patrício, denunciando os desmandos do governo João Pessoa.
Fuba faz a ressalva, porém, que com a pesquisa e posterior publicação nunca teve a intenção de se colocar como historiador, de incentivar antigas discórdias ou manchar a imagem de nenhum dos envolvidos. “A minha iniciativa partiu tão somente da curiosidade e vontade de me aprofundar em busca da verdadeira história da Paraíba, saindo do consenso que é imposto pelos meios oficiais, e o que é passado em conteúdos didáticos”, finaliza.
Mais sobre o autor
Flávio Eduardo Maroja Ribeiro, o Fuba, é paraibano de João Pessoa. Músico, compositor e produtor cultural, o artista é bastante conhecido no Estado, especialmente por ser um dos fundadores e puxador oficial do Bloco Muriçocas do Miramar – celebrado como o segundo maior evento multicultural de prévia carnavalesca do Brasil. A fama de Fuba vem, igualmente, da produção de eventos musicais. Um de seus feitos nesse âmbito é o saudoso “Projeto Seis e Meia”, realizado na Paraíba durante 10 anos.
Com sete CDs gravados e cerca de 800 músicas de sua autoria (boa parte ainda inédita), ele passeia por vários gêneros da MPB e já teve alguns de seus sucessos lançados por Jarbas Mariz, Márcia Freire, Lenine, Elba Ramalho, Zé Ramalho e Renata Arruda, entre outros.
Ainda no campo da escrita, Fuba também trafega pela poesia (notadamente aquela em cordel) e da crônica. Outro livro publicado pelo autor foi “Nas ruas de nossas cabeças” (2007 – Sal da Terra Editora), que entrelaça vários temas relacionados à arte e à cultura, ao cotidiano da cidade de João Pessoa.
Texto: Oziella Inocêncio
Foto: Divulgação