Museu de Arte Popular da Paraíba continua com programação alusiva à Primavera dos Museus

Museu de Arte Popular da Paraíba continua com programação alusiva à Primavera dos Museus
22 de setembro de 2021

Aberta desde a última segunda-feira (20), a Primavera dos Museus segue nesta quarta (22) no Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande. As ações acontecem em todo o Brasil, a partir de uma proposta sugerida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), sob a temática “Museus: Perdas e Recomeços”. Assim, a Pró-Reitoria de Cultura (PROCULT) da UEPB e o MAPP desenvolveram uma série de atividades, especialmente para o período, que vai até a sexta-feira (24).

Seguindo com a programação, nesta quarta-feira (22), às 18h, haverá a interação artística “Caricaturas da Vida”, com Sócrates Gonçalves. Conhecido por seu talento multifacetado – Sócrates é cantor, instrumentista, ilustrador e ator – ele promete trazer um espetáculo variado e de bom gosto ao MAPP.

A programação continua na quinta-feira (23), às 18h, com uma intervenção artística. O encerramento das atividades se dará na sexta-feira (24), no mesmo horário, com a apresentação da exposição “Nise da Silveira: uma vida para o nosso tempo”. Ao final do evento, haverá uma exibição da Orquestra Filarmônica Epitácio Pessoa.

Todas as práticas estão sendo transmitidas virtualmente pela Coordenadoria de Comunicação (CODECOM), no Canal Rede UEPB, via YouTube.

Homenagens
A Primavera dos Museus começou no MAPP em grande estilo, com a performance “Reverência à Lili”, feita pelo ator e professor do Centro Artístico Cultural (CAC) da UEPB, Chico Oliveira. Lili era do quadro docente do CAC há mais de duas décadas e faleceu em junho deste ano. Na tocante homenagem realizada por Chico, muitas tintas, paletas, telas e pincéis – utensílios de trabalho com os quais ela por 25 anos fez brilhar sua criatividade para os alunos. A exibição contou também com áudios da própria Lili, contemplando a plateia com um pouco do mundo colorido e irreverente dela.

A mesa de abertura foi composta pelo diretor do MAPP e pró-reitor adjunto de Cultura, professor José Pereira da Silva, o pró-reitor de Cultura, professor José Cristóvão de Andrade, a pró-reitora adjunta de Extensão, professora Dauci Pinheiro Rodrigues, e pelo diretor do Teatro Municipal Severino Cabral (TMSC), Carlos Alan Peres, representando a secretária municipal de Cultura, Gisele Sampaio.

Os presentes discorreram acerca do tópico que norteia a iniciativa, “Museus: Perdas e Recomeços”, a partir da tônica da esperança e do planejamento de ações. Em seguida, foram lembrados artistas conhecidos que faleceram no período, a exemplo de Cassiano, Inaudete Amorim, João Gonçalves, Genival Lacerda, os irmãos Bastinho e Zé Calixto, além da artista plástica Lili Brasileiro. Na oportunidade, familiares deles, como Verônica Cassiano, Luana Amorim, João Gonçalves Filho, João Lacerda, Luizinho Calixto e Karoline Brasileiro deram depoimentos a respeito do luto.

Simbolizando a fé em dias melhores, a programação trouxe, ainda, entrevistas com mães que deram à luz a seus bebês em plena crise sanitária decorrente do novo Coronavírus.

Forró no Museu
Na noite de terça-feira (21), a calçada do MAPP ganhou uma animada apresentação, com alguns dos professores dos cursos de Música do CAC, Erivan Ferreira, Caio César, Edglei Miguel e João Batista. Na ocasião, principalmente quem estava com saudades das comemorações do Maior São João do Mundo, pode conferir um pouco do autêntico forró pé de serra que já é sinônimo de alegria na Rainha da Borborema.

À frente do evento estava o diretor do Museu e o curador da área de Música do MAPP, Sandrinho Dupan. Também houve um bate-papo com os artistas sobre o contexto atual e o que tem sido vivenciado por eles em relação à pandemia.

Texto: Oziella Inocêncio