Voltada ao desenvolvimento de pesquisas que têm como característica a inovação, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) investe em uma política de estudos que estimulem a implementação da propriedade intelectual, pautada na promoção de atividades que ampliam o impacto do ensino, pesquisa e extensão da Instituição. E uma das esferas da UEPB que contribuiu para a gestão da inovação através do planejamento e execução dessas práticas é a Agência de Inovação Tecnológica (Inovatec), responsável por coordenar e estruturar a incubadora de empresas de base tecnológica da Instituição.

 

Com a missão de promover atividades de estímulo à inovação e ao empreendedorismo na UEPB, ampliando o impacto das ações universitárias em favor do desenvolvimento socioeconômico da região, a Inovatec mobiliza, incentiva e orienta pesquisadores nos procedimentos para proteção e difusão das invenções e conhecimentos resultantes das pesquisas no âmbito da Instituição. A proposta de estruturar e apoiar a formação de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica surgida das criações protegidas e mantidas pela UEPB, contribui no processo de desenvolvimento de atividades que promovam a educação e a formação empreendedora na Universidade.

 

Além disso, na UEPB ainda há uma atuação de excelência no que se referente à busca por soluções de ponta acessíveis, gerando negócios com organizações públicas e privadas, além de atender às agências reguladoras. Esse é o papel do Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes), que tem se destacado na produção de equipamentos e softwares em diversos projetos desenvolvidos na Instituição.

 

O Laboratório de Tecnologias 3D é um deles por desenvolver atividades que têm facilitando a vida de pacientes que precisam de cirurgias, atuando na produção de biomodelos de protótipos para cirurgias nas áreas de Ortopedia, Neurocirurgia, Traumatologia Bucomaxilofacial e Ortognática, Cirurgia Craniomaxilofacial e Plástica, Implantodontia, Oncologia, entre outras.

 

A relevância do Nutes pode ser atestada durante o período de pandemia do novo Coronavírus. Os cientistas e pesquisadores do Núcleo recorreram à ciência e à tecnologia para desenvolverem várias ideias voltadas para a proteção dos profissionais de saúde no enfrentamento e auxílio no tratamento da Covid-19. Capacete para evitar intubação, ventilador pulmonar, máscara cirúrgica biodegradável, máscara de proteção, protetores faciais, são algumas das invenções desenvolvidas pelo órgão. Pelo menos nove projetos ligados diretamente ao combate à pandemia foram desenvolvidos pelo Nutes desde o aparecimento da doença.

 

Um desses projetos é o protetor facial desenvolvido para profissionais da saúde que trabalham na linha de frente no enfrentamento à Covid-19. Com esse equipamento, o médico pode usar a máscara por mais tempo, o que garante maior proteção contra o vírus dentro das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Ao todo, já foram produzidos e distribuídos gratuitamente mais de 60 mil protetores faciais para profissionais que atuam diretamente na linha de frente em hospitais na região Nordeste.

 

Na batalha para ajudar a salvar vidas, o Nutes também desenvolveu um dispositivo de videolaringoscopia, em impressão 3D, que pode evitar o óbito pelo Coronavírus. Esse equipamento é essencial para facilitar a intubação de pacientes que apresentam insuficiência respiratória grave ou refratária, comum nos casos mais graves de pessoas com Covid-19. É do Nutes também a criação do ventilador pulmonar mecânico, essencial para a manutenção da vida em casos de deficiência em atividades cardiorrespiratórias, como a insuficiência respiratória em pacientes atingidos gravemente pela doença.

 

O Nutes ainda possui competências para o desenvolvimento de software, atuando principalmente em sistemas embarcados de equipamentos eletromédicos, sistemas para tratamento de imagens, processamento de sinais, sistemas de informação, bem como a integração por meio de soluções de Conectividade.