Projeto de extensão de Arquivologia promove ação pioneira que une atividades físicas e culturais

Projeto de extensão de Arquivologia promove ação pioneira que une atividades físicas e culturais
14 de outubro de 2021

Pedipaper ou Peddy-paper, são nomes dados a prática que consiste na realização de uma prova dividida em etapas em que os concorrentes têm de percorrer, a pé, um determinado trajeto num dado tempo e responder a um questionário que envolve perguntas e resolução de tarefas. A iniciativa, corriqueiramente usada em instituições da Europa para unir atividades educativo-culturais à prática desportiva, é desenvolvida de forma pioneira pelo projeto de extensão “Pedipaper SESA: conhecer João Pessoa com desporto, educação cultural e ambiental”, que é vinculado ao curso de Arquivologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Com o objetivo de possibilitar o conhecimento da cidade de João Pessoa de forma lúdica, a equipe envolvida no projeto promove no dia 23 de outubro, às 8h30, no Parque Sólon de Lucena, o evento intitulado “Peddy-paper”. A atividade é voltada não apenas aos estudantes de Arquivologia, mas, à população em geral, com uma ação que é alusiva à campanha “Outubro Rosa”, destinada à conscientização a respeito da prevenção ao câncer de mama, e ao dia do arquivista, celebrado em 20 de outubro.

De acordo com a coordenadora desta iniciativa, professora Eliete Correia dos Santos, a ideia de criar o projeto surgiu a partir das experiências no pós-doutorado em Portugal, onde esse tipo de prática é corriqueira, utilizada, sobretudo, por instituições educacionais. “O pedipaper é uma atividade costumeira na Europa, alguns são de acolhimento de estudantes, socialização. E eu achava interessante porque é uma iniciativa que ao mesmo tempo trabalha educação, cultura e desporto. Formam-se equipes que vão preenchendo esse jogo voltado à observação da natureza, da história e da cultura local. Este tipo de ação possibilita olhar a cidade por outras óticas”, explica.

Segundo o coordenador adjunto do curso de Arquivologia e historiador, professor Ramsés Nunes, que auxilia na organização do evento, o pedipaper é basicamente uma ação que tem sua fundamentação na possibilidade de usar o espaço urbano, patrimonial e histórico da cidade. “Em João Pessoa a iniciativa tem a função de fixar pontos de observação do espaço patrimonial a partir de uma atividade lúdica, ao mesmo tempo em que proporciona aos participantes o conhecimento da história daquele lugar, a partir de uma experiência prazerosa”, avalia.

Para participar do evento “Peddy-paper” é necessário realizar a inscrição via formulário eletrônico, uso de máscaras e apresentação do comprovante de vacinação de Covid-19 com, pelo menos, a primeira dose.

Outras informações: Instagram e Facebook do Projeto SESA.

Texto: Juliana Marques